quinta-feira, 26 de novembro de 2015

CAIR NO ESPÍRITO

O mais interessante não é "cair no espírito ou não", nem provar que tem poder para expulsar demônios, tão pouco quem entende ou não de teologia ou de fé, mas o que importa é o que já foi dito por alguns nos comentários, o fruto do Espírito. De que adianta fazer tantas manifestações mirabolantes se a vida não der testemunho de Cristo? Prefiro, em meio a tantas manifestações que têm aconteciso como: cair, imitar animais e dizer que é o Espírito, gritar, pular, desacordar e tantas outras manifestações que tantas pessoas e pastores dizem ser o Espírito Santo, ter o discernimento do Espírito. E é simples, basta questionarmos qual é o objetivo dessas manifestações. Há tantas pessoas dizendo ter o dom de curar, porque não vão aos hospitais esvaziá-los? Porque não vão aos leprozários? Sabe porque? Porque lá não serão vistos por ninguém. Na verdade querem ostentar poder e suposta intimidade com Deus, ao passo que a Bíblia afirma o contrário: "Elias era homem sujeito às mesmas paixões que nós, e orou, e durante três anos e seis meses não choveus, depois tornou a orar e Deus mandou chuva sobre a terra". Pedro e João não se permitiram ser venerados no templo quando curaram o aleijado pelo poder de Deus, mas disseram: "não foi pela nossa justiça e santidade". Portanto, eu sou testemunha viva de que, para a manifestação do poder de Deus não é preciso cair nem desmaiar, tão pouco gritar ou desacordar, pois fui curado de epilepsia há 25 anos; minha mãe foi curada de tuberculose em estado terminal há 47 anos, e não foi necessário nenhuma dessas manifestações, a única arma usada foi a fé através da oração. Só penso que, nos últimos dias o homem tem tido necessidade de ostentar poder e ser notório, enquanto que há tantos milagres que ocorrem em oculto e que só saberemos na eternidade quando as pessoas receberão galardão por terem enaltecido única e exclusivamente o nome de Jesus que é sobre todo o nome. Fica aqui as minhas poucas palavras de protesto a essas supostas manifestações nas quais não percebo virtudes espirituais, mas técnicas para impressionar as pessoas. Deus nos guarde debaixo da egédia da sua palavra! Pr. Samuel Silva

sábado, 12 de setembro de 2015

Esboço da Aula da EBD dia 13/09/2015

A ORGANIZAÇÃO DE UMA IGREJA LOCAL
EXEMPLOS BÍBLICOS DE ORGANIZAÇÃO
A narrativa de Genesis descreve a ordem da criação, objetivos e análise dos feitos em períodos de tempos.
1.       Por ordem (1º dia, 2º dia, etc.).
2.       Estágios da criação; uma coisa após a outra.
3.       Análise divina: “E viu Deus que era bom”.
4.       Objetivos: para iluminar…
5.       Domínio dado ao homem de tudo o que criou.
6.       Recomendações de como o homem deveria agir.
Na sabedoria de Salomão admirada por todos
A organização chama a atenção dos outros e os atraem para o meio da igreja.
Obs.: o que fazia a igreja primitiva.
Nota: a questão é que os crentes têm interpretado a igreja como uma reunião litúrgica de pessoas para cantar e ouvir um pregador. Isso é apenas uma parte da realização da igreja. O principal não observamos: o que deveríamos fazer, para quê fazemos as coisas, quem deveria fazer, etc.
Na construção do Tabernáculo (Êx 36.1-3).
1.       Regras para a construção e utensílios do Tabernáculo.
2.       Uso do Tabernáculo. (exclusivo para os sacrifícios sob a responsabilidade dos sacerdotes).
3.       Regras cerimoniais.
Para que haja ordem nas coisas que fazemos na igreja, é necessário:
·         Coerência. Não obedecer simplesmente, mas analisar com inteligência o que está realizando. Ordem absurda não se obedece.
·         Respeito às ordens dadas pela liderança.
·         Imparcialidade
·         Bom senso
·         Uso devido de objetos para determinado fim.

Sem organização não dá para saber o quê, como, onde, quem, nem para quê realizar tal ato. Tudo o que fazemos tem que ter um fim, e devemos analisar os resultados.
O que precisamos saber sobre a desordem?
1.       A desordem é uma questão de insanidade mental. (pessoas ajuntando lixo em casa, tralhas, objetos inúteis, etc).
2.       É uma questão de caráter. (onde não tem ordem é oportuno para pessoas de mau caráter  fazerem coisas erradas). Sem transparência, os desordeiros escondem seus maus intentos e feitos.
3.       A desordem causa prejuízo a todos.
O que precisamos saber sobre a ordem?
1.       Beneficia a todos, pois organiza e disponibiliza aquilo que precisamos para ser útil em momento oportuno.
2.       Otimiza o tempo.
3.       Faz com que tarefas sejam realizadas com habilidade e praticidade.
4.       Há fundamento para tudo o que realizamos; portanto, uma coisa deve ser antes de outra.
5.       Promove satisfação em observar resultados positivos no que realizamos.

6.       Glorifica a Cristo na igreja, pois atrairá a atenção das pessoas para a organização da mesma.

sábado, 15 de março de 2014

Notícias














quinta-feira, 6 de março de 2014

MUNDO CRISTÃO

-->

quarta-feira, 1 de janeiro de 2014

O inferno e Lago de Fogo é a mesma coisa?


O inferno e o lago de fogo são lugares completamente distintos. Há uma interpretação errônea quanto esses dois lugares por parte de pessoas ingênuas e leigas. Por questões de hábitos religiosos, a palavra "inferno" tem virado um chavão. Essa palavra se tornou algo tão comum entre os crente que, como ocorre com outras palavras, seus legítimos significados literais se perdem no decorrer do tempo e por falta de uma genuína interpretação. Vamos ao significado real da palavra: Uma palavra antiga, principalmente se tratando da Bíblia, deve ser pesquisado o seu significado literal nos tempos em que ela era usada. Segundo as regras de interpretação, as palavras literais mudam seu significado no decorrer dos tempos. Já os símbolos não, eles continuam tendo os mesmos significados de quando foram descritos. Nos tempos histórico da Bíblia a maioria das palavras tinham sentidos e significados diferentes dos tempos hodiernos. No caso específico das palavras inferno e o lago de fogo, vamos estudá-las separadamente porque são distintas, não significam a mesma coisa. Inferno - Essa palavra vem de duas raízes idiomáticas: hebraico "sheol"; grego "hades". Nos dois idiomas o significado é o mesmo: habitação das almas dos mortos. A origem do termo inferno é latina: infernum, que significa "as profundezas" ou o "mundo inferior". Na mitologia grega "hades" é o deus dos infernos, chefe da habitação dos mortos Qual é então o sentido bíblico da palavra inferno? Há textos bíblicos onde a mesma palavra tem conotações diferentes. O mesmo ocorre com as palavras: "mundo, século, amor, etc"... O inferno propriamente dito é o lugar onde jaz as almas de todos os mortos, como apresenta a história narrada por Jesus em Lucas 16.19-31; porém, havia um abismo que separava os salvos dos ímpios. Quando Jesus ressuscitou, levou com ele as almas dos que estavam cativos no seio de Abraão. Agora, os que morrem em Cristo, estão presentes com Ele. Entretanto, a diferença entre o inferno (hades, sheol) do lago de fogo (Geena), é que, as almas dos que morrem com Cristo estão aguardando a redenção do corpo ( o inferno é apenas a habitação das almas dos que morreram e aguardam a ressurreição para o julgamento e redenção do corpo: (Romanos 8:23) - E não só ela, mas nós mesmos, que temos as primícias do Espírito, também gememos em nós mesmos, esperando a adoção, a saber, a redenção do nosso corpo. Porém, os ímpios aguardam o julgamento e consequente condenação eterna, os quais serão lançados no "lago de fogo". Aqui está a diferença, pois o Apocalipse registra que a morte e o inferno (hades, sheol), habitação da almas dos mortos, serão lançados no lago de fogo: (Apocalipse 20:14) - E a morte e o inferno foram lançados no lago de fogo. Esta é a segunda morte. Portanto, o inferno que é a habitação das almas dos mortos deixará de existir na terra, pois tanto a morte como a sua habitação (sheol, hades, inferno) serão lançados fora da terra, no lago de fogo, assim como o lixo era queimado fora dos muros de Jerusalém Geena (do hebraico גֵיא בֶן-הִנֹּם, transl. Geh Ben-Hinom, literalmente "Vale de Hinom") é um vale em torno da Cidade Antiga de Jerusalém, e que veio a tornar-se um depósito onde o lixo era incinerado. Atualmente é conhecido como Uádi er-Rababi. Esta palavra grega surge doze vezes no texto bíblico, nos seguintes locais: • Mateus 5:22, 29, 30; 10:28; 18:9; 23:15, 33 • Marcos 9:43, 45, 47 • Lucas 12:5 • Tiago 3:6 Geena refere-se ao vale de Hinom, fora das muralhas de Jerusalém. Este vale era usado como depósito de lixo, onde se lançavam os cadáveres de pessoas que eram consideradas indignas, restos de animais, e toda outra espécie de imundície. Usava-se enxofre para manter o fogo aceso e queimar o lixo. Jesus usou este vale como símbolo da destruição eterna. (Marcos 9:44) -" Onde o seu bicho não morre, e o fogo nunca se apaga". O VALE DE HINOM ATUALMENTE (GEENA) O Lago de fogo e exofre do qual Jesus se refere, era uma alusão a esse vale que era utilizado para queimar o lixo da Cidade, e que, para que o fogo não se apagasse, era usado enxofre, dando sentido assim ao castigo eterno dos ímpios onde sofrerão eternamente. Infelizmente os crente usam os termos erroneamente , pois não há uma definição correta dos termos. Um é o lago de fogo, outro é o inferno como já descrevemos anteriormente.

Pesquisar este blog

Carregando...

AUMENTE A FONTE

A+ a-

Seguidores

Quem sou eu

Minha foto
Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brazil
Teólogo Pesquisador